Finanças para Médicos

Planejamento Financeiro: o 1º e mais importante Passo

Compartilhe conhecimento:

O Planejamento Financeiro é um processo essencial para o alcance da riqueza. Aprenda a fazer seu dinheiro trabalhar a seu favor no texto da Série Finanças para Médicos da semana.

EDUCAÇÃO FINANCEIRA PARA MÉDICOS
dos primeiros passos ao primeiro milhão

Francinaldo Lobato Gomes *

PLANEJAMENTO FINANCEIRO:
O PRIMEIRO E MAIS IMPORTANTE PASSO

 

banner curso online enriquecer faz bem a saude

 

INTRODUÇÃO 

Conquistar e manter a independência financeira é perfeitamente possível para qualquer pessoa. Para alcançá-la, é preciso seguir os passos certos. Não existem atalhos nem mágica. E estes passos são:

  1. Planejamento financeiro;
  2. Reserva de segurança;
  3. Blindagem patrimonial;
  4. Construção e multiplicação do patrimônio gerador de renda.

O planejamento financeiro é o primeiro e mais importante passo a ser dado rumo à independência financeira. O objetivo de um bom planejamento financeiro é proporcionar um orçamento no verde, isto é, permitir que sobre dinheiro todos os meses. Não se pode investir recursos que não se tem. Sem um planejamento financeiro eficaz, é impossível construir e multiplicar a riqueza.

No texto anterior já foi mostrado que um dos ingredientes para enriquecer é a disponibilidade de recursos sobre os quais irão agir os juros compostos ao longo do tempo. Então, vocês devem estar se perguntando agora de onde virão estes recursos. Pois bem, a fonte é justamente o planejamento financeiro (Figura 1).

01 - Financas para Medicos - Juro composto
Figura 1. Na fórmula do juro composto, o C representa o capital inicial. O objetivo do planejamento financeiro é fornecer este capital inicial para que se possa começar a investir.

 

DIFICULDADES EM IMPLEMENTAR O PLANEJAMENTO FINANCEIRO 

Apesar de ser determinante para o sucesso nos investimentos, poucos conseguem implementar e manter um planejamento financeiro eficaz. A grande maioria das pessoas sequer começa ou, quando o faz, acaba desistindo em algum momento. A dificuldade em implementar o planejamento financeiro decorre de três razões básicas.

  1. Mudança de comportamento: Esta mudança de comportamento diz respeito, principalmente, à forma como você lida com o dinheiro. Não é raro vermos médicos ganharem muito dinheiro e, ainda assim, continuarem pobres por não saberem lidar com o dinheiro da forma correta (quem leu minha história no texto anterior percebeu que eu fui um destes). Não se pode esperar resultados diferentes fazendo o que todos fazem (Figura 2).
02 - Financas para Medicos - Planejamento Financeiro para gerar riquezas
Figura 2. Para implementar um planejamento financeiro e construir riqueza, é preciso mudar o comportamento e lidar com o dinheiro da maneira como as pessoas ricas lidam.

Portanto, para se tornarem pessoas ricas, vocês precisam aprender a lidar com o dinheiro da mesma forma como as pessoas ricas o fazem.

  1. Quebra de paradigmas: Um bom planejamento financeiro requer a quebra de certos paradigmas adquiridos ao longo da vida (Figura 3). Aqui, vou citar algumas frases que, certamente, vocês já ouviram em algum momento:
  • “Dinheiro só traz desgraça”
  • “O Reino dos Céus é dos pobres”
  • “Os ricos são gananciosos e desonestos”
  • “Dinheiro não traz felicidade”
03 - Financas para Medicos - Quebrar paradigmas
Figura 3. Para implementar um planejamento financeiro e construir riqueza é preciso quebrar paradigmas incorporados na infância.

É comum ouvir estas frases ainda quando criança, incorporar estas ideias e as levar, de forma inconsciente, para a vida adulta. Estas ideias erradas tenderão a fazer com que você, de forma também inconsciente, se auto-sabote durante o processo de construção de riqueza, por receio de ser taxados de gananciosos – ou mesmo mercenários.

Portanto, para se tornar uma pessoa rica, também é preciso pensar como os ricos pensam.

  1. Privação: A terceira razão é a ideia, também errônea, de que é preciso privar-se das coisas boas da vida para sobrar dinheiro todos os meses. Ora, os seres humanos não gostam de privações. Privações geram frustração, um sentimento desagradável e que, portanto, deve ser evitado. Os seres humanos gostam de recompensas. Recompensas geram prazer, um sentimento agradável e que, portanto, devendo ser reforçado (Figura 4).
04 - Financas para Medicos - Sem restricoes
Figura 4. Para implementar um planejamento financeiro e construir riqueza, não é necessário privar-se das coisas boas da vida.

Recapitulando, o planejamento financeiro permite ter um orçamento no verde todos os meses. Para implementar um planejamento financeiro adequado, é preciso lidar com o dinheiro como as pessoas ricas fazem, é preciso pensar como os ricos pensam e é preciso consumir como os ricos consomem.

Agora que vocês já sabem a importância, o benefício e as dificuldades em implementar o planejamento financeiro, acredito que estejam bastante motivados a fazê-lo. Veremos agora a parte operacional de um bom planejamento financeiro, sem privações e com recompensas.

 

OS GASTOS QUE TÊM MAIOR IMPACTO NO ORÇAMENTO 

Para conseguir um orçamento no verde todos os meses, é preciso saber quais são as principais fontes de saída de dinheiro e estancá-las. Diferentemente do que vocês costumam ver na mídia sobre planejamento financeiro, não falarei aqui em controlar o número de cafezinhos que se toma, as idas ao cinema ou mesmo as compras de supermercado. Se feito desta forma, o planejamento financeiro tem grande chance de fracassar por conta do trabalho que dá ficar tomando nota de tudo o que se compra, além do fato de isto incorrer, inevitavelmente, em privações.

É muito importante ter controle adequado dos gastos mensais. Mas existem gastos que têm pouco impacto no orçamento, além do fato de gerarem uma enorme sensação de prazer

Vejam bem. Não quero passar a ideia de que o controle de gastos não é importante. É muito importante ter controle adequado dos gastos mensais. Mas existem gastos que têm pouco impacto no orçamento, além do fato de gerarem uma enorme sensação de prazer, tal como um bom cafezinho, uma ida ao cinema ou mesmo um jantar com a família.

Por isso, a ideia central para ter sucesso com o planejamento financeiro é a seguinte (Figura 5):

ENCONTRE A FORMA MAIS BARATA DE LEVAR UMA VIDA RICA!

05 - Financas para Medicos - Leve uma Vida Rica
Figura 5. Encontrem a forma mais barata de levar uma vida rica.

Encontrar a forma mais barata de levar uma vida rica significa fazer tudo aquilo que se gosta e que gera prazer e recompensa, porém gastando menos. Isto é possível de ser feito se vocês se planejarem com antecedência para viagens, comprarem passagens com desconto, usarem cupons em restaurantes, comprarem passagens com milhas do cartão, evitarem o pagamento de juros para adquirir bens, dentre outras formas.

Um planejamento financeiro viável e eficaz deve focar nos gastos que têm maior impacto no orçamento mensal.

 

QUEM REALMENTE GANHA COM O TRABALHO DE VOCÊS?

Não me refiro ao fato de vocês serem patrões ou empregados, mas sim a quem realmente enriquece com o trabalho de vocês.

Muitos de vocês trabalham várias horas do dia e da noite, durante a semana, finais de semana e, algumas vezes até nos feriados, não para o próprio enriquecimento, mas para enriquecerem, basicamente, três instituições: 

  • O governo;
  • Os bancos;
  • As operadoras de cartões de crédito.

Portanto, é nestas três fontes de gastos que um bom planejamento financeiro deve focar.

Vejamos cada um deles adiante.

 

O GOVERNO 

Saibam que a carga tributária brasileira está entre as dez maiores do planeta, segundo o IBPT (Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário), quando se consideram os tributos diretos, indiretos e tributos em cascata.

Apesar da alta carga tributária, o brasileiro é o que tem o menor retorno sobre os tributos pagos (Figura 6). E, claro, toda esta carga tributária tem grande impacto no orçamento mensal de todos os brasileiros. Portanto, para um planejamento financeiro adequado, é preciso ter um planejamento tributário.

06 - Financas para Medicos - Tributos sobre o brasileiro
Figura 6.  O brasileiro gasta muito com tributos para alimentar o governo.

O planejamento tributário consiste no uso de medidas lícitas que reduzem a carga tributária. Esta redução costuma ocorrer na declaração de ajuste anual, de tal forma a reduzir o imposto de renda a ser pago ou mesmo produzir restituição.

Existem três principais formas de reduzir a carga tributária para pessoa física.

 

PLANO DE PREVIDÊNCIA PRIVADA, MODALIDADE PGBL (PLANO GERADOR DE BENEFÍCIO LIVRE)

Esta modalidade permite abater até 12% da renda bruta anual da base de cálculo do imposto de renda. Por exemplo, se sua renda anual for de 100mil reais, você deve aplicar até 12 mil reais na previdência privada. Com isso, a base de cálculo para o imposto de renda será de 88 mil e não de 100mil.

O imposto de renda incidirá apenas quando o montante for resgatado ou quando a renda passar a ser recebida, fazendo com o que os juros da previdência incidam sobre uma base maior de dinheiro. Isso difere das aplicações com imposto semestral, em que a base monetária sofre redução a cada seis meses por conta da cobrança do imposto. Desta forma, é aconselhável escolher a tabela regressiva de imposto de renda, de tal forma que, quanto mais tempo o dinheiro ficar aplicado, menor o imposto de renda a ser pago (até a alíquota mínima de 10% após 10 anos de aplicação).

Sobre o plano de previdência privada, fiquem atentos aos seguintes aspectos:

– Escolham a instituição financeira que ofereça a menor taxa de administração e que não cobre taxa de carregamento. Isto fará com que o rendimento seja maior. Mesmo que a diferença seja pequena, ela vale a pena porque, ao longo do tempo (e como se trata de juro composto), o impacto no valor final da riqueza será considerável.

– Caso desejem mudar de instituição financeira, podem fazer portabilidade para outra instituição, sem custo e sem perda de benefícios. Existem instituições financeiras menores e algumas não bancárias que oferecem taxas de administração bem abaixo da média de mercado. Vale a pena pesquisar e escolher a melhor opção.

– Procurem uma modalidade de previdência em que os recursos sejam alocados tanto em ativos de renda fixa quanto em ativos de renda variável, para melhorar ainda mais o rendimento.

Devido ao baixo rendimento em comparação com outros produtos existentes no mercado, a previdência privada deve ser usada apenas para reduzir a carga tributária. Portanto, não é vantajoso aplicar no plano de previdência mais do que 12% da renda bruta anual, pois não haverá redução adicional da base de cálculo do imposto de renda.

 

ESCRITURAÇÃO DO LIVRO CAIXA 

A segunda forma de obter benefício fiscal é a escrituração do livro caixa para profissionais autônomos. O livro caixa é uma ferramenta lícita essencial para reduzir a carga tributária porque permite descontar integralmente todos os gastos necessários para obter o ganho como profissional autônomo.

Vejamos abaixo os itens que podem ser deduzidos do livro caixa com suas respectivas bases legais:

DESPESAS COM LIVROS TÉCNICOS E VESTIMENTAS ESPECÍFICAS

Os profissionais da saúde, não raro, necessitam de livros especializados para se atualizarem das novas descobertas, tecnologias e tratamentos. Além disso, a própria profissão exige roupas especiais para o seu exercício, como por exemplo, os jalecos.

Base legal: RIR 99, art. 75, III e Parecer Normativo CST n°60/1978.

 

DESPESAS COM ENCONTROS CIENTÍFICOS

Despesas para comparecimento a encontros científicos como congressos, seminários e simpósios, desde que guardem estreita relação com a atividade desenvolvida pelo contribuinte, sendo admitidos gastos diretamente vinculados aos estudos e trabalhos, tais como: taxa de inscrição e comparecimento, aquisição de impressos e livros técnicos, materiais de estudo e trabalho e passagens indispensáveis ao transporte de ida e volta do local da reunião.

Base legal: RIR 99, art. 75, III e Parecer Normativo CST n°60/1978.

 

PAGAMENTOS DE SALÁRIOS E SERVIÇOS DE TERCEIROS

São dedutíveis os salários pagos a empregados, assim como os relativos encargos trabalhistas. Também podem ser deduzidos os pagamentos efetuados a terceiros sem vínculo empregatício, desde que considerados essenciais para o desempenho das atividades do profissional.

Base legal: RIR 99, art. 75, I e Parecer Normativo Cosit n° 392 de 1970.

 

HONORÁRIOS PAGOS AO CONTABILISTA

Podem ser deduzidos os honorários pagos ao profissional contábil, devidamente inscrito no CRC.

Base legal: RIR 99, art. 75, III e Ato Declaratório Normativo CST n° 16 de 1979.

 

DESPESAS COM MATERIAIS DE CONSUMO

Materiais como produtos para a realização de tratamentos e exames, materiais de escritório, de conservação e limpeza, dentre outros, são completamente dedutíveis.

Base legal: RIR 99, art. 75, III e Parecer Normativo CST n º 60, de 1978.

 

DESPESAS COM MARKETING

Para conseguir captar mais clientes o profissional liberal precisa anunciar os seus serviços, com isso, as despesas de marketing também podem ser deduzidas.

Base legal:  RIR 99, art. 75, III e Parecer Normativo Cosit n° 358, de 8 de outubro de 1970.

 

DESPESAS COM ÓRGÃOS DE FISCALIZAÇÃO PROFISSIONAL

Despesas como contribuições destinadas para associações – desde que o trabalho destas reflita em melhorias para o desenvolvimento das atividades do profissional liberal –, contribuições sindicais direcionadas para o sindicato da classe e contribuições para o Conselho Regional de Medicina.

 

Todos os gastos enumerados acima, para que possam ser deduzidos do IRPF do profissional autônomo, devem estar corretamente escriturados no livro de caixa e comprovados com documentação hábil e idônea.

Vale ressaltar, ainda, que o livro caixa pode ser escriturado eletronicamente, através de formulários contínuos, que devem ser impressos, destacados e encadernados ao fim do processamento, contendo os termos de abertura (com o número das folhas escrituradas) e encerramento. O programa oficial que permite este tipo de escrituração é o Programa Carnê-leão e está disponível no site da Receita Federal.

Cabe ao profissional contábil a prestação de maiores esclarecimentos sobre a escrituração e a documentação necessária para a declaração do IRPF do profissional autônomo, que presta serviços de forma liberal, para que não ocorram erros, falhas ou, até mesmo prejuízos com multas. Desta forma, é vital o apoio de um bom contador.

Caso as deduções excedam as receitas em um dado mês, o excesso pode ser computado nos meses seguintes até dezembro, não podendo passar para o ano seguinte.

É importante manter toda documentação comprobatória, tais como notas fiscais e recibos, em seu poder e à disposição da Receita Federal por, pelo menos, cinco anos, enquanto não ocorrer a prescrição ou a decadência.

 

INVESTIMENTO EM AÇÕES E FUNDOS IMOBILIÁRIOS

A terceira forma de obter benefício fiscal aplica-se aos médicos que investem em ações. Aqui, vocês verão duas formas de obter benefício fiscal com este tipo de investimento.

A primeira é quanto ao recebimento de dividendos. Todo acionista recebe parte do lucro da empresa da qual é sócio na forma de dividendos, e não tem que pagar imposto de renda adicional sobre os dividendos recebidos (uma vez que a empresa já pagou imposto de renda antes de distribui-los).

O segundo benefício fiscal diz respeito à compra e venda de ações. Para vendas de até 20 mil reais mensais em ações, com lucro, não há incidência de imposto de renda. E mais ainda: um prejuízo ocorrido num determinado mês pode ser descontado do lucro obtido num outro mês. Por exemplo, se num mês houve prejuízo de R$ 2.000 e num outro mês houve lucro de R$ 4.000, paga-se imposto de renda sobre 2.000 (4000-2000).

Com relação aos fundos imobiliários, o ganho mensal do fundo (yield mensal) é isento do pagamento do imposto de renda. O imposto incidirá apenas sobre os ganhos decorrentes da venda de cotas do fundo.

Para concluir o planejamento tributário é importante ter o auxílio de um contador para que não haja incoerências na declaração de imposto de renda e também para que vocês se mantenham atualizados com relação a estes benefícios fiscais, pois eles podem ser alterados pelo governo.

Recapitulando, as formas lícitas de reduzir a carga tributária para pessoa física são:

  • Previdência privada PGBL
  • Livro caixa para os profissionais autônomos não assalariados
  • Investimento em ações e fundos imobiliários

 

 

OS BANCOS

financas para medicos - os bancos e seu dinheiro

Com relação aos bancos, é preciso atentar para alguns aspectos.

Deve-se negociar com o gerente as menores tarifas possíveis para manutenção da conta corrente e também para a realização de transferências, DOCs, TEDs e anuidade de cartão.

Além disso, deve-se sempre negociar as menores taxas de juros em caso de um empréstimo ou de um financiamento. E, mais ainda, grande parte dos produtos de investimentos que outrora eram oferecidos apenas por grandes bancos – tais como CDB, Letras de Créditos, Títulos do Tesouro, Debêntures, dentre outros – passaram a ser oferecidos por bancos menores e mesmo por corretoras e cooperativas de crédito, que cobram taxas mais interessantes e oferecem remuneração melhor. Vale muito a pena consultar mais de uma instituição financeira e negociar taxas antes de investir o seu dinheiro.

Ainda com relação aos bancos, deve-se evitar a todo custo o uso do limite do cheque especial, por conta das altas taxas cobradas além do pagamento de IOF (Imposto sobre Operações Financeiras).

Além disso, não se deve deixar dinheiro parado na conta corrente por causa das perdas com o custo de oportunidade. Negociem com o gerente um investimento automático, tal como um CDB com resgate automático. Desta forma, sempre que entrar dinheiro na conta corrente, ele será automaticamente transferido para o CDB e poderá ser resgatado a qualquer momento, sem perda de rendimento.

Por fim, deve-se ter o cuidado com os produtos de investimentos oferecidos pelos bancos, porque eles costumam ter custos mais altos do que os de instituições não bancárias. Lembrem-se sempre que as instituições financeiras, sejam elas quais forem, são intermediários, cabendo a vocês, investidores, escolher os melhores produtos de investimentos.

Além de buscar reduzir gastos com os bancos, existe a possibilidade de vocês serem sócios dos grandes bancos. Todos os grandes bancos brasileiros têm ações negociadas na bolsa de valores. Como os bancos estão entre as instituições mais lucrativas, os acionistas recebem parte deste lucro na forma de proventos (dividendos, juros sobre o capital e bonificações).

Para resumir, utilizem os bancos a favor de vocês. Negociem taxas, passem a receber juros e evitem pagar juros de empréstimos ou financiamentos. Comparem os produtos financeiros oferecidos pelos grandes com os oferecidos por bancos menores ou mesmo por instituições não bancárias. Avaliem cuidadosamente as vantagens de serem sócios dos grandes e lucrem com eles.

 

CARTÕES DE CRÉDITO 

Com relação aos cartões de crédito, estes devem ser usados com muita cautela e sempre em favor de vocês. Ter um cartão de crédito apresenta vantagens e desvantagens.

Dentre as vantagens, temos:

  1. Conveniência: carregar um cartão de crédito é mais cômodo do que carregar dinheiro;
  2. Segurança: É mais seguro carregar um cartão de crédito do que dinheiro em caso de perda ou roubo.
  3. Utilidade em situações emergenciais. Caso vocês passem por uma situação emergencial e não tenham a quem recorrer, podem lançar mãos do cartão.
  4. Alívio temporário. As compras feitas no cartão de crédito podem ser pagas em até 40 dias sem juros. Neste período, o dinheiro pode ser aplicado e render juros.
  5. Poder de compra. Esta talvez seja a principal vantagem e também a principal desvantagem, pois permitirá que vocês adquiram algo que, muitas vezes, vocês não precisam com um dinheiro que vocês não têm.
  6. Uso internacional. O cartão habilitado para uso internacional pode ser usado em qualquer país, sem que se tenha que usar dinheiro vivo. Apenas deve-se atentar para o pagamento do IOF, que pode chegar a 6% do valor da compra em moeda estrangeira.
  7. Permite parcelar o pagamento, sem juros. Esta vantagem funciona como uma espécie de alavancagem, aumentando seu poder de compra. Porém, se o gasto ultrapassar a capacidade de pagamento, vocês pagarão juros altos. Por isso, deve-se ter cautela na hora de usar o cartão.
  8. Prêmios, descontos, bônus e milhas. Muitas operadoras de cartão de créditos oferecem bônus, descontos e milhas para as compras com cartão. Estes benefícios auxiliam em viagens, hospedagem, aluguel de carros ou mesmo na aquisição de determinados bens com descontos.
  9. Acesso a crédito imediato, sem necessidade de garantias. As compras com cartão de crédito, por si só, já funcionam como uma operação de crédito. Além disso, existe também a possibilidade de sacar dinheiro vivo até determinado limite, o que pode ser útil em situações emergenciais.

Entretanto, todas estas vantagens podem ser facilmente suplantadas pelas desvantagens, dependendo de como cada um de vocês utilizará o cartão de crédito.

Dentre as desvantagens, temos:

  1. Ilusória sensação de “dinheiro no bolso”. O cartão representa um crédito e não dinheiro vivo. Desta forma, embora pareça que vocês têm dinheiro nas mãos, na verdade vocês estão usando crédito que pode custar muito caro se não for pago na totalidade e dentro do prazo.
  2. A facilidade do uso do cartão pode levar vocês a gastarem mais do que deveriam. Portanto, devem ser cuidadosos no uso do cartão.
  3. Altas taxas de juros cobradas quando do pagamento parcial ou do não pagamento da fatura. A taxa de juros do cartão de crédito é a segunda maior taxa de juros do mercado, perdendo apenas para os juros do cheque especial. Aqui, novamente, deve ser reforçado que as compras com cartão nada mais são do que uma operação de crédito.
  4. Possibilidade de fraude no mundo físico e virtual. Existe a possibilidade de clonagem do cartão, o que nem sempre é fácil provar, já que os métodos de fraude são cada vez mais sofisticados.
  5. Invisibilidade do dinheiro. Pequenos gastos vão se somando e sem demora podem se transformar em uma quantia imensa, difícil de ser paga. Em uma sociedade consumista, em que o que vale é o aqui e agora, um cartão de crédito nas mãos pode ser um grande risco.

Da mesma forma que se deve ter cuidado com as compras no cartão de crédito, existe a possibilidade de vocês serem sócios destas operadoras, já que grande parte delas tem ações negociadas na bolsa de valores. Com isso, vocês receberão parte deste lucro na forma de proventos (dividendos, juros sobre o capital e bonificações).

Para evitar problemas com o cartão de crédito, é preciso usá-lo em favor de vocês, otimizando as vantagens e evitando, a todo custo, as desvantagens.

 

IMPLEMENTEI AS MUDANÇAS E NÃO SOBRA DINHEIRO. E AGORA? 

financas para medicos - como economizar

Se, após implementadas todas as medidas acima, o orçamento ficar no zero a zero ou mesmo no vermelho – isto é, não estiver sobrando dinheiro –, a única alternativa é aumentar a renda para equilibrar o orçamento ou mesmo fazer sobrar dinheiro para investir.

Eu mesmo precisei fazer isso durante a fase em que necessitei passar da condição de devedor para investidor. Trabalhei em um hospital da Zona Leste de São Paulo durante dois anos, todos os sábados. Todo o ganho era destinado a equilibrar o orçamento e a iniciar os investimentos.

Apesar de parecer um contra senso, trabalhar mais em prol de um objetivo específico e por um período limitado de tempo é perfeitamente aceitável. Entretanto, esta não deve ser a regra na vida de vocês.

Para concluir, ao implementar as medidas mostradas acima, você trabalhará para o seu próprio enriquecimento e não para enriquecer terceiros. Coloque em prática estas medidas e experimente a tranquilidade de ver sobrar dinheiro na conta todos os meses. Assim, você passará a ter recursos para poder investir e multiplicar.

banner curso online enriquecer faz bem a saude

 

Texto originalmente publicado em 24/05/2017. Atualizado em 13/09/2018 com banners para evento “Enriquecer Faz Bem à Saúde”.

Print Friendly, PDF & Email
Tags
Mostrar mais

Dr. Francinaldo Gomes

Neurocirurgião. Mestre em Neurociências. Autor dos livros "Bolsa Valores para Médicos" (Editora DOC, 2012) e "Finanças no Consultório: como Maximizar os Resultados" (Editora DOC, 2016). Escritor da coluna "Investimentos" da revista DOC e da revista SBN Hoje. Especialista em investimento em ações e mercado de opções (CMA Educacional). MBA em finanças com ênfase em gestão de investimentos (FGV). Membro da Comissão de Apoio, Qualificação e Gestão Empresarial da Sociedade Brasileira de Neurocirurgia.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta