Vacinas

Vacinação em Prematuros: quando eles podem ser vacinados?

Orientações sobre vacinação em recém-nascidos pré-termo contra hepatite, rotavírus e demais doenças.

Compartilhe conhecimento:
Os recém-nascidos pré-termo (nascidos antes de 37 semanas de gestação), na maioria dos casos, independentemente do peso ao nascer, devem ser vacinados na mesma idade cronológica, seguindo o mesmo esquema e usando as mesmas precauções que para recém-nascidos a termo.

O peso e o tamanho ao nascer não são fatores na decisão de vacinar um lactente pré-termo clinicamente estável (1,2), exceto para a vacinação contra hepatite B. A dose total recomendada de cada vacina deve ser aplicada conforme orientação do recém-nascido a termo. Não são recomentadas no recém-nascido pré-termo doses divididas ou reduzidas.

 

VACINA PARA HEPATITE B

Alguns prematuros com peso menor de 2.000 g ao nascimento podem apresentar taxas de soroconversão menores após a administração da vacina contra hepatite B (3). No entanto, com a idade cronológica de 1 mês, todos os prematuros, independentemente do peso inicial, provavelmente responderão de forma tão adequada quanto os lactentes maiores (4,5). As crianças com peso <2.000 g, nascidas de mães HBsAg-negativas, poderão receber a primeira dose da série de vacinas contra hepatite B com idade cronológica de 1 mês ou na alta hospitalar, se a alta hospitalar ocorrer quando a criança tiver menos de um mês de idade.

Veja também

Intervalo de Tempo entre a Administração de Vacinas e Produtos Contendo Anticorpos

A dose inicial da vacina não deve ser contada para a conclusão da série de hepatite B, e 3 doses adicionais devem ser administradas, começando quando a criança tem 1 mês de idade. Para mães com status de HBsAg desconhecido, a vacina contra hepatite B é recomendada dentro de 12 horas após o nascimento, independentemente do baixo peso ao nascer.

No Calendário de Vacinação Prematuros – SBIM (Sociedade Brasileira de Imunização), o recém-nascido com peso inferior a 2.000 g ou idade gestacional menor que 33 semanas deverá receber, obrigatoriamente, quatro doses (esquema 0 – 2 – 4 – 6 meses ou 0 – 1 – 2 – 6 meses), sendo a primeira dose nas primeiras 12 horas de vida (7).

Os recém-nascidos de mães HBSAg+ devem receber ao nascer (ou nas primeiras 12 horas de vida), além da vacina, imunoglobulina específica contra hepatite B (IGHAHB) (7).

Baixar Calendário de Vacinação – Prematuros

 

VACINA DO ROTAVÍRUS

imagem 3D do rotavirusEm relação à vacina do Rotavirus, orienta-se iniciar a vacinação na idade cronológica de 2 meses. Se a criança estiver hospitalizada, o adiamento da vacina é recomendado até o momento da alta, por ser vacina de vírus vivo atenuado e oral. Existe um risco teórico de o vírus vacinal ser transmitido para as crianças da mesma unidade de internação (6).

A série de vacinas contra o rotavírus não deve ser iniciada em lactentes com idade acima de 3 meses e 15 dias.

Lembre-se

Em recém-nascidos com suspeita de imunodeficiência ou cujas mães fizeram uso de biológicos durante a gestação, a vacina do Rotavirus pode estar contra indicada.

 

VACINA BCG

A vacina BCG ID deverá ser aplicada em dose única em recém-nascidos com peso maior ou igual a 2.000 g e o mais precocemente possível, de preferência ainda na maternidade. Em caso de suspeita de imunodeficiência ou recém-nascidos cujas mães fizeram uso de drogas imunossupressoras durante a gestação, a vacina poderá estar contraindicada (7).

Clinica PREVINA Campinas - vacinas

 

OUTRAS VACINAS

Para recém-nascidos prematuros, hospitalizados ou não, utilizar preferencialmente vacinas acelulares [antígenos purificados da bactéria que causa a coqueluche (Bordetella pertussis), por exemplo]. A utilização de vacinas acelulares reduz o risco de eventos adversos. Em prematuros extremos, considerar o uso de analgésicos/antitérmicos profiláticos com o intuito de reduzir a ocorrência desses eventos, principalmente eventos cardiorrespiratórios e convulsão. Prefira ainda o uso das vacinas combinadas e acelulares à DTPa (DTPa-HB-VIP-Hib ou DTPa-VIP-Hib), pois elas permitem a aplicação simultânea e se mostraram eficazes e seguras para os recém-nascidos pré-termo. (7)

ATENÇÃO

O uso simultâneo de múltiplas doses injetáveis em recém-nascidos pré-termo pode se associar à apneia, devendo-se dar preferência à administração de menor número de injeções em cada imunização. Qualquer dose não administrada na idade recomendada deve ser aplicada na visita subsequente. (7)

Finalizando, é sempre bom lembrar da importância da vacinação de contactantes, que é especialmente indicada para quem convive ou cuida de recém-nascidos pré-termo e inclui as seguintes vacinas:

  • coqueluche,
  • influenza,
  • varicela,
  • sarampo,
  • caxumba e
  • rubéola.

 

 

Referências científicas

  1. Bernbaum JC, Daft A, Anolik R, et al. Resposta de recém-nascidos prematuros a imunizações contra difteria, tétano e coqueluche. J Pediatr. 1985; 107 (2): 184-188. DOI: 10.1016 / S0022-3476 (85) 80122-0
  2. Shinefield H, Black S, Ray P, Bombeiro B, Schwalbe J, Lewis E. Eficácia, imunogenicidade e segurança da vacina conjugada pneumocócica heptavalente em recém-nascidos de baixo peso e pré-termo. Pediatr Infect Dis J.2002; 21 (3): 182-186. DOI: 10.1097 / 00006454-200203000-00003
  3. Lau YL, Tam AY, Ng KW, et al. Resposta de bebês prematuros à vacina contra hepatite B. J Pediatr. 1992; 121 (6): 962-965. DOI: 10.1016 / S0022-3476 (05) 80352-X
  4. Patel DM, Mordomo J, Feldman S, Graves GR, Rod. PG. Imunogenicidade da vacina contra hepatite B em recém-nascidos saudáveis ​​de muito baixo peso. J Pediatr. 1997; 131 (4): 641-643. DOI: 10.1016 / S0022-3476 (97) 70078-7
  5. Losonsky GA, Wasserman SS, Stephens I e outros. Vacinação contra hepatite B em bebês prematuros: uma reavaliação das recomendações atuais para imunização tardia. 1999; 103 (2): E14. DOI: 10.1542 / peds.103.2.e14
  6. Cortese MM, Parashar UD. Prevenção da gastroenterite por rotavírus entre bebês e crianças: recomendações do Comitê Consultivo em Práticas de Imunizações (ACIP). MMWR Recomendação Rep. 2009; 58 (RR-2): 1-25.
  7. SBIm:https://sbim.org.br/images/calendarios/calend-sbim-prematuro.pdf. Acesso em 22/09/2018

 

SOBRE OS AUTORES

  • Luis Alberto Verri (CRM 51162) é médico pediatra, formado pela UNICAMP, onde realizou a residência em pediatria, especialista pela SBP, atua no Hospital Vera Cruz desde 1985 e com vacinas desde 1996.
  • VERRI, B. H. M. A – Beatriz Verri é graduada em enfermagem pela Unicamp, com especialização em Cardiologia e em Administração Hospitalar. Possui doutorado em Saúde Coletiva também pela UNICAMP. Atualmente é professor adjunto doutor da Universidade São Francisco e da Faculdade São Leopoldo Mandic.
Print Friendly, PDF & Email
Tags
Mostrar mais

Dr. Luis Alberto Verri

Dr. Luis Alberto Verri (CRM 51162) é médico pediatra, formado pela UNICAMP (onde realizou a residência em pediatria), especialista pela SBP e atua no Hospital Vera Cruz desde 1985 e com vacinas desde 1996.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta