Artigos da SemanaNeurologiaPuericultura

Desenvolvimento Infantil e nascimento planejado antes de 39 semanas de gestação: Um estudo de base populacional

Compartilhe conhecimento:

Acompanhe um resumo sobre as principais descobertas deste paper, que discute os potenciais impactos cognitivos futuros para crianças nascidas com menos de 39 semanas de gestação.

 

Estudo publicado no Pediatrics em dezembro de 2016 concluiu que o nascimento planejado em menos de 39 semanas de idade gestacional aumenta o risco de problemas de desenvolvimento infantil na idade escolar.

Além de relação com a idade gestacional, foi encontrada relação com o tipo do parto, evidenciando que todos os tipos de partos, exceto parto normal não induzido, estiveram relacionados com problemas de desenvolvimento no período escolar.

Todos os tipos de partos, exceto parto normal não induzido, estiveram relacionados com problemas de desenvolvimento no período escolar.

A justificativa sugerida seria o fato do desenvolvimento cerebral do feto se acelerar a partir da 32ª semana até o termo da gestação, e o parto antes disso impediria o desenvolvimento completo.

 

DETALHAMENTO DO ESTUDO

O trabalho em questão é um estudo de coorte, no qual foram avaliados 153.730 nascidos vivos com idade gestacional ≥32 semanas na cidade de New South Wales, Austrália, de 2002 a 2007.

Essas mesmas crianças foram avaliadas com idades entre 4 e 6 anos, após o primeiro ano de escola em período integral, com o objetivo de avaliar o desenvolvimento em idade escolar. Foi usado como instrumento de avaliação do desenvolvimento o Australian Census Early Development – AEDC. Professores avaliaram e registraram informações de cerca de 100 características de cada criança, que foram então combinadas e agregadas para calcular pontuações por 5 domínios e 16 subdomínios. A média de idade das crianças ao serem avaliadas foi de 5,5 anos.

Os 5 domínios avaliados foram:

  • saúde física e bem estar
  • linguagem e cognição
  • competência social
  • maturidade emocional
  • conhecimentos gerais e comunicação

De acordo com os domínios e o AEDC, as crianças foram classificadas em dois grupos gerais: “Desenvolvimento vulnerável” e “Alto Risco para o Desenvolvimento“.

No geral, 9,6% das crianças foram classificadas como “Alto Risco para o Desenvolvimento” sendo que o risco aumentou com a diminuição da idade gestacional, quando comparado com a idade gestacional de 40 semanas:

  • 32 a 33 semanas 1.25 (1.08-1.44)
  • 34 a 36 semanas 1.26 (1.18-1.34)
  • 37 semanas 1,17 (1,10-1,25)
  • 38 semanas 1,06 (1,01-1,10)
  • 39 semanas 0,98 (0,94-1,02)
  • ≥ 41 semanas 0.99

Outros fatores que estiveram relacionados ao maior risco, além da idade gestacional, foram:

  • sexo masculino
  • crianças pequenas para a idade gestacional
  • baixa idade materna
  • presença de problemas socioeconômicos familiares
  • tabagismo durante a gestação.

Quando avaliado o tipo de parto, constatou-se que que parto normal induzido e cesariana fora do trabalho de parto apresentaram aumento na classificação de risco para o desenvolvimento – risco relativo ajustado = 1,07 (1,04-1,12%), quando comparado com o parto vaginal sem indução.

 

CONCLUSÃO

O autor do artigo conclui que o nascimento precoce programado (<39 semanas) está relacionado a um maior risco de desenvolvimento pobre em crianças em idade escolar. Sendo assim, o adiamento da data do nascimento pode contribuir para a melhor saúde da criança.

Veja o artigo na íntegra

 

Print Friendly, PDF & Email
Etiquetas
Mostrar mais

Dr. Antonio Girotto

Médico pediatra especializado em medicina intensiva pediátrica, com graduação pela Universidade do Sul Santa Catarina e especialização pela Unicamp.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo