Finanças para Médicos

Série Finanças para Consultórios: o que fazer com o Lucro?

Compartilhe conhecimento:

Descubra quais são as melhores opções de uso do lucro de seu consultório para manter o negócio sempre seguro e em crescimento.

EDUCAÇÃO FINANCEIRA PARA MÉDICOS
dos primeiros passos ao primeiro milhão

Francinaldo Lobato Gomes *

 

O QUE FAZER COM O LUCRO?

Existem duas habilidades valiosas que o médico precisa ter para garantir o seu sucesso e o de seu consultório. A primeira é o empreendedorismo e a segunda é a habilidade de lidar com finanças, tanto com as finanças de seu consultório quanto com suas finanças pessoais.

Uma questão importante na gestão financeira de um consultório é a alocação correta do lucro obtido. O médico precisa desenvolver a habilidade de fazer com que o dinheiro do consultório trabalhe a favor do crescimento do empreendimento, trazendo mais dinheiro para o caixa. A aplicação correta do lucro funcionará como uma fonte extra de recursos para o consultório, contribuindo para seu crescimento e proteção.

Não existe receita de bolo sobre o que fazer com o lucro. Caso você esteja se perguntando quais são as melhores opções, logo a seguir listo sugestões que contemplam os principais aspectos relacionados à administração financeira de um consultório.

 

O QUE PODE SER FEITO COM O LUCRO OBTIDO NO CONSULTÓRIO?
ALGUMAS SUGESTÕES

 

REINVESTIR NO PRÓPRIO CONSULTÓRIO

É aconselhável reinvestir 1/3 do lucro no próprio consultório.

O valor deverá ser usado para a aquisição de salas e equipamentos (computadores, equipamentos para exames diagnósticos e para procedimentos), reformas, ampliação, aumento dos estoques e para a qualificação da equipe. Como se trata de atividade de investimento, este valor permitirá que o consultório aumente sua produtividade e lucratividade, bem como melhore sua eficiência. Com isto, haverá aumento do Retorno sobre Patrimônio Líquido (RSPL) e da Margem líquida (ML) , permitindo que se mantenha a concorrência distante.

investindo no próprio consultório

 

CONSTRUIR UM FUNDO DE RESERVAS

Cerca de um terço o lucro deve ser usado para construir um fundo de reserva.

Este fundo destina-se a garantir o pagamento das despesas fixas do consultório (incluindo as previsões para gastos extraordinários e depreciação) por, pelo menos, um ano. O fundo de reserva dará tempo para o consultório recuperar-se em caso de algum acontecimento inesperado que venha a ocasionar queda ou mesmo parada total na produtividade.

Como exemplo, suponhamos que os gastos fixos de um consultório sejam de R$ 7.000,00, já incluídas as previsões para as despesas extraordinárias e os gastos com a depreciação.

O fundo de reserva deste consultório deve conter entre R$ 42.000,00 a R$ 84.000,00, recursos suficientes para cobrir as despesas fixas por seis meses a um ano. Lembre-se que o dinheiro do fundo de reserva não se destina à multiplicação do patrimônio do consultório, mas sim ao pagamento das despesas caso ocorra algum fato inesperado.

Este montante não deve ficar parado no caixa do consultório. Ele deverá ser aplicado em um produto de renda fixa com resgate automático, sem perda do rendimento. Deve-se ter em mente que este capital não deve ser aplicado em investimentos de risco, porque destina-se a cobrir despesas fixas do consultório. É dinheiro que pode ter que ser usado a qualquer momento, sem qualquer aviso prévio.

OPÇÕES DE INVESTIMENTO 

Há vários tipos de investimentos disponíveis no mercado que conseguem rendimentos anuais próximos à taxa SELIC (taxa básica de juros do país). Por exemplo:

  • CDBs (Certificados de Depósito Bancário),
  • fundos DI e
  • Tesouro SELIC.

Tanto o retorno quanto o risco destes investimentos costumam ser baixos, porém suficientes para compensar os efeitos corrosivos da inflação e ainda gerar algum ganho real para o consultório. Além da rentabilidade, deve-se buscar a menor taxa de administração possível (quando houver) junto ao banco para que o ganho real seja maior. A taxa de administração, usualmente, varia de 1.5 a 2.0% ao ano, dependendo do valor aplicado e da instituição financeira contratada.

fundo de reservas para o seu consultório

 

INVESTIR EM RENDA VARIÁVEL

O restante do lucro deve ser investido em produtos de renda variável, com a finalidade de conseguir rendimento diferenciado e multiplicar o patrimônio do consultório. O investimento em renda variável tem mostrado desempenho melhor que os investimentos em renda fixa no longo prazo.

Para investir em produtos de renda variável, é preciso abrir conta numa corretora de valores. Neste caso, terá que ser uma conta para pessoa jurídica, já que se trata do consultório e não do profissional da saúde.

O importante é entender que renda variável não é renda fixa. Portanto, não há como saber antecipadamente qual a rentabilidade, uma vez que esta dependerá de muitos fatores. E a compensação por esta incerteza é, justamente, retornos maiores no longo prazo.

OPÇÕES DE INVESTIMENTO EM RENDA VARIÁVEL

Existem várias formas de investimentos em renda variável. É possível investir em…

  • ações,
  • imóveis (tanto para compra, venda e aluguel quanto em fundos imobiliários),
  • franquias,
  • negócio próprio (outro que não o consultório),
  • gado,
  • moeda estrangeira
  • etc

É possível, ainda, ter participação em investimentos de terceiros. Além disso, pode-se combinar estas diferentes modalidades de investimentos. Por exemplo, pode-se investir em ações e em imóveis; em negócio próprio e móveis; em ações e gado. Enfim, as possibilidades são infinitas. O médico deve selecionar o investimento ou a combinação mais adequada ao perfil de seu consultório e ao capital que tem disponível. Lembrando que, quando o consultório tiver dois ou mais sócios, deverá haver concordância de todos os sócios com relação aos investimentos.

investimento em renda fixa para o seu consultório

A figura abaixo mostra, de forma esquemática, o que fazer com o lucro do consultório. Reparem que as dicas sugeridas aqui estão inter-relacionadas e que uma modalidade de uso do lucro influencia sobre a outra e todas contribuem para o aumento do lucro. Portanto, trata-se de um sistema de retroalimentação positiva.

o que fazer com o lucro do consultorio

CONCLUINDO…

Para concluir, uma vez que o consultório esteja lucrando, o médico precisa saber em que investir de forma a fazer o dinheiro do consultório trabalhar para o consultório. No módulo de finanças pessoais, detalharemos cada tipo de investimento.

Print Friendly, PDF & Email
Etiquetas
Mostrar mais

Dr. Francinaldo Gomes

Neurocirurgião. Mestre em Neurociências. Autor dos livros "Bolsa Valores para Médicos" (Editora DOC, 2012) e "Finanças no Consultório: como Maximizar os Resultados" (Editora DOC, 2016). Escritor da coluna "Investimentos" da revista DOC e da revista SBN Hoje. Especialista em investimento em ações e mercado de opções (CMA Educacional). MBA em finanças com ênfase em gestão de investimentos (FGV). Membro da Comissão de Apoio, Qualificação e Gestão Empresarial da Sociedade Brasileira de Neurocirurgia.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo