Alergia & ImunologiaNutrologiaPneumologia

Vitamina D e Asma — Qual a Correlação?

Compartilhe conhecimento:

Análise de resultados de recentes estudos científicos sobre níveis de vitamina D e o controle da asma em crianças.

 

Hoje contamos com uma breve revisão elaborada por mais uma nova colaboradora do PortalPed, a Dra. Marcela Brasil. Ela nos mostra algumas evidências da literatura sobre a importância da vitamina D num grupo de pacientes bem comum no meio pediátrico: os asmáticos. Quer saber mais?

 

A vitamina D é um pró-hormônio com efeitos parácrinos, endócrinos e autócrinos. Sua função mais conhecida é relacionada à saúde óssea. Todavia, receptores da Vitamina D foram encontrados também em células:

  • relacionadas ao metabolismo da glicose,
  • relacionadas à imunidade,
  • da musculatura vascular,
  • cardíacas e
  • esqueléticas [9-10].

Por ser um imunomodulador potente, pode ser capaz de abrandar sinais inflamatórios em vários tipos de células envolvidas na resposta asmática. Sua deficiência tem sido cada vez mais associada ao aumento da inflamação e exacerbações em pacientes com asma [1]. Paralelamente a isso, existem estudos que mostram a correlação entre níveis de hipovitaminose D e dificuldade no controle da asma [2].

Analisamos, a seguir, as conclusões de uma série de estudos científicos recentes que correlacionaram esses dois fatores na saúde das crianças.

 

ESTUDOS: CORRELAÇÃO ENTRE NÍVEIS DE HIPOVITAMINOSE D E DIFICULDADE NO CONTROLE DA ASMA

A vitamina D está também correlaciona à prevenção de alergia alimentar, devendo ser iniciada sua suplementação o mais breve possível, já logo ao nascimento. (5)

Vários estudos descobriram que baixos níveis séricos de vitamina D (<20ng/mL) estão associados a exacerbações frequentes, aumento da inflamação das vias aéreas, diminuição da função pulmonar e mau prognóstico em pacientes asmáticos. Estudos in vitro e in vivo sugerem que a suplementação com vitamina D pode melhorar as características da asma [1] (veja mais abaixo o tópico ‘Suplementação’)

A Cochrane publicou uma revisão em 2017 que avaliou a associação dos níveis de Vitamina D com os casos de exacerbação da asma e com melhora do controle dos sintomas. Verificou-se que a vitamina D reduz o risco de exacerbação, porém há incerteza sobre como esses achados podem ser aplicados na prática. Observou-se um efeito protetor, clínica e estatisticamente significativo, da vitamina D contra a exacerbação severa da asma [4].

A deficiência de vitamina D é considerável no desenvolvimento de rinossinusite aguda e em suas complicações. Em uma análise estatística em estudo prospectivo caso-controle, em crianças com média de 5 anos, houve uma diferença estatisticamente significativa (p<0,05) que sugere que a deficiência de Vitamina D predispõe a complicações como celulite pré septal.  Além disso, a normovitaminose parece exercer um fator protetor contra o desenvolvimento da rinossinusite [2].

 

Uma outra revisão sistemática, com um total de 13.160 participantes, mostrou que a deficiência de Vitamina D estava presente em 28,5% das crianças com asma. Os níveis médios de 25-OH Vitamina D3 foram significativamente menores em crianças asmáticas em comparação com crianças não asmáticas (intervalo de confiança de 95%) [5].

Ozdogan et al. avaliaram a dosagem sérica de Vitamina D, comparando com a função pulmonar e atopia em crianças com asma. Foram avaliadas 71 crianças asmáticas e 77 controles saudáveis, com idade entre 7 e 17 anos. Os níveis séricos de 25-OH Vitamina D3 foram significativamente mais baixos nos pacientes que apresentam níveis elevados de IgE e altos níveis de IgE específicos contra alérgenos inalatórios. Isso pode indicar que níveis baixos de Vitamina D estão correlacionados com atopia. Na função pulmonar, entretanto, não se notou diferença significativa [6].

A vitamina D está também correlacionada com a prevenção de alergia alimentar, devendo ser iniciado sua suplementação o mais breve possível, já logo ao nascimento [3].

 

 

SUPLEMENTAÇÃO DE VITAMINA D

A suplementação de Vitamina D foi avaliada, em pacientes crianças asmáticos, comparando a reposição rápida (com doses altas oral e intramuscular) versus a reposição de manutenção. As crianças com asma moderadamente severa e níveis de Vitamina D menor que 25 ng/mL foram submetidas a randomização; em seguida, foi feita a administração IM + oral OU terapia diária oral única, ambas acompanhadas por 12 meses. A suplementação rápida reduziu significativamente as visitas hospitalares por exacerbações (p = 0,008) e a frequência média de exacerbação (p = 0,017) [8].

Estudos que avaliaram a suplementação de Vitamina D, principalmente para paciente com afecções respiratórias, sugerem que a dose diária deve ser em média 1.000UI a 2.000UI, porém não há um consenso mundial sobre quais as doses usar e para quem usar, necessitando de mais estudos para essa definição correta. Também, torna-se essencial a definição dos níveis séricos ideais de 25-OH vitamina D3 [7].

 

CONCLUSÃO

A manutenção de um estado adequado de vitamina D pode ser um método profilático efetivo e barato contra algumas Infecções Respiratórias das Vias aéreas superiores [7]. A literatura ainda não nos mostra um consenso absoluto sobre quem são os pacientes que se beneficiam de suplementação desta vitamina e nem sobre a dose ideal a ser administrada. Entretanto, as evidências parecem nos mostrar que os pacientes com asma grave, crises frequentes e de difícil controle, podem se beneficiar dessa suplementação.

 

Gostou? Você suplementa vitamina D em algum grupo de pacientes? Compartilhe Conhecimento!

 

REFERÊNCIAS CIENTÍFICAS

  1. Beyhan-Sagmen S Baykan O Balcan B Ceyhan B. Arco. Bronconeumol. 2017 Abr; 53 (4): 186-191. Artigo de jornal. 28320552
  2. Vit D deficiency is a possible risk factor in ARS. Elbistanlı MS Koçak HE Güneş S Acıpayam H Şimşek BM Canpolat S Kayhan FT SourceEA Eur Arch Otorhinolaryngol 2017 Jun 12. PubMed ID 28608241
  3. Well-designed randomized controlled trials are required to determine if children with asthma can benefit from Vitamin D supplementation. Jat KR Khairwa A SourceLI Lung India 2017 Jul-Aug; 34(4):355-363.
  4. Rapid vs Maintenance Vitamin D Supplementation in Deficient Asthmatic Children to Prevent Exacerbations. Alansari K Davidson BL Yousef KI Mohamed ANH Alattar I SourceChest Chest 2017 Jun 23.
  5. Peters RL Neeland MR Allen KJ. Curr Allergy Asthma Rep 2017 Aug; 17(8):52. ID 28634899
  6. Vitamin D Status, Lung Function and Atopy in Children with Asthma. Ozdogan S Sari G Aktan IH Aydin B Irmak C Cavdar S. J Coll Physicians Surg Pak 2017 maio; 27 (5): 292-295. ID 28599691
  7. Vitamin D for the management of asthma: A Cochrane Review Summary. Lisa Whitehead. Published Online: April 08, 2017. DOI: http://dx.doi.org/10.1016/j.ijnurstu.2017.04.003 Publication stage: In Press Corrected Proof
  8. Vitamin D and Bronchial Asthma: An Overview of Data From the Past 5 Years. Hall SC Agrawal DK. Clin Ther 2017 May; 39(5):917-929. ID 28449868
  9. Vitamina D and respitatory tract infections in chidhood. Sussanna Esposito and Mara Lelli. Published online 2015 oct 28. BMC Infect Dis 2015. ID 4628332
  10. itamin D in the healthy European paediatric papulation. Braegger C, Campoy C, Colomb V, Decsi T, Domellof M, Fewtrell M ET AL. V. J Pediatr Gastroenterol Nutr 2013; 56 (6): 692-701
  11. Vitamin D: Update 2013: From rickets prophylaxis to general preventive healthcare. Grober U, Sppitz j, Reichrath J, Kisters K, Holick MF.  Dermatoendocrinol 2013;5(3):331-47
Print Friendly, PDF & Email
Tags
Mostrar mais

Dra. Marcela Ferreira

CRM MG 63868 Gradução: Centro Universitário de Volta Redonda Residência em Pediatria: Hospital Municipal Ouro Verde - Campinas/SP Pós-graduação em Nutrologia pela ABRAN Professora de Pediatria (puericultura) da Faculdade de Medicina de Itajubá .

Atendimento:

  • Hospital Santa Mônica – Divinópolis/MG Sala de Parto, Enfermaria clínica pediátrica e neonatal, Emergência Médica
  • Consultório Particular Brasil Clinic – Avenida Primeiro de Junho, 411/sala 703 – Centro – Divinópolis/MG. (37) 3214-1762

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta