Oncologia

Hepatocarcinoma fibrolamelar: especialistas indicam escaneamento cerebral rotineiro

Especialistas sugerem adoção de escaneamentos rotineiros e ultrassom a fim de detectar o quanto antes o avanço da doença.

Destaques

  • Estudos de caso indicam que este tipo de câncer pode ter metástase também no cérebro
  • Especialistas indicam escaneamento cerebral como medida de detecção precoce
Compartilhe conhecimento:

O carcinoma hepatocelular fibrolamelar é uma condição rara (estima-se cerca de 200 casos anuais no mundo), responsável por 2% das neoplasias de origem hepatocelular. Apesar da baixa incidência, é importante para a comunidade pediátrica por acometer jovens de 5 a 35 anos, de ambos os sexos. Os sintomas são geralmente relatados ao final da infância e início da adolescência.

A cirurgia é o método de tratamento preferencial, e dados indicam uma sobrevida de 5 anos entre 48 e 60% dos casos. Comparativamente, a sobrevida de 5 anos de pacientes com hepatocarcinomas típicos, no geral, é de 30%.

O maior problema com a doença é que o diagnóstico geralmente é feito apenas quando ela já se encontra em estágio avançado, quando o paciente percebe mais nitidamente os sintomas. No geral, há recorrência e metástase para outras regiões do corpo.

Cientistas da Rockefeller University, nos Estados Unidos, especializados neste tipo específico de tumor, relatam, na última edição do Pediatric Blood and Cancer, que o hepatocarcinoma fibrolamelar pode apresentar metástase também no cérebro. A conclusão é baseada em três estudos de casos recentes, todos de mulheres de 18 anos de idade. Assim, os pesquisadores indicam que pacientes com este hepatocarcinoma devem passar rotineiramente por escaneamentos cerebrais a fim de prevenir ou detectar, nos estágios iniciais, qualquer indício de metástase.

A indicação é especialmente importante em pediatria, uma vez que tumores sólidos raramente têm metástase em tecidos cerebrais nas populações pediátricas e em jovens adultos e, portanto, dificilmente as equipes médicas realizam escaneamentos cerebrais nesses casos.

 

ULTRASSOM EM RELATOS DE DOR ABDOMINAL

Os pesquisadores também sugerem, no artigo, que médicos e pediatras realizem exames de ultrassom em crianças e adolescentes que relatarem dores abdominais durante um longo período de tempo. Apesar de tais dores terem inúmeras possíveis causas, é importante poder riscar o câncer dessa lista.

 

 

PARA SABER MAIS

 

Print Friendly, PDF & Email
Etiquetas
Mostrar mais

PortalPed

Somos um grupo de pediatras que adoram compartilhar conhecimentos sobre a profissão com nossos colegas, com estudantes de Medicina e com o público no geral. Venha conosco nesta jornada de aprendizado!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo