Vacinas

Intercambialidade de vacinas: recomendações para diferentes fabricantes

Podemos imunizar um paciente com doses de diferentes vacinas contra uma mesma doença?

Compartilhe conhecimento:
Vacinas produzidas por fabricantes diferentes, mesmo sendo indicadas para proteção contra uma mesma doença, geralmente não são idênticas em conteúdo de antígeno ou em quantidade ou método de formulação. Os fabricantes usam processos distintos de produção e seus produtos podem conter concentrações diferentes de antígeno por dose, ou então um estabilizador ou conservante alternativo. E isso pode gerar dúvidas entre profissionais de saúde sobre a aplicabilidade das vacinas. Veja, a seguir, dados sobre a intercambialidade de vacinas para diferentes doenças.

 

Vacinas contra Haemophilus influenza tipo B (Hib), hepatite B e hepatite A

Os dados disponíveis na literatura indicam que as crianças que recebem doses sequenciais de diferentes vacinas conjugadas contra Hib, hepatite B e hepatite A produzem uma resposta de anticorpos satisfatória após uma série primária completa (1-2). Todas as marcas de Hib conjugado, hepatite B, hepatite A, rotavírus e as vacinas conjugadas meningocócicas quadrivalentes são intercambiáveis dentro de suas respectivas séries.

 

Vacinas contra coqueluche

Dados limitados estão disponíveis sobre a segurança, imunogenicidade e eficácia do uso de vacinas acelulares contra coqueluche (isto é, DTaP) de diferentes fabricantes para doses sucessivas da série pertussis. No momento, não existe relação sorológica clara de proteção para coqueluche e os dados de imunogenicidade para proteção contra essa doença são desconhecidos. Devido a estas afirmações, deve-se usar o mesmo fabricante da vacina DTaP para todas as doses da série de vacinação (3), quando viável. Se os vacinadores não souberem ou não tiverem disponível o tipo de vacina DTaP previamente administrada a uma criança, qualquer vacina DTaP pode ser usada para continuar ou completar a série (3).

Clinica PREVINA Campinas - vacinas

Os profissionais de saúde não devem perder a oportunidade de aplicar a vacina, independentemente da marca da vacina aplicada nas doses anteriores. Para as vacinas em geral, a vacinação não deve ser adiada porque não está disponível ou não é conhecido o produto utilizado anteriormente (4,5).

 

 

REFERÊNCIAS CIENTÍFICAS

  1. Greenberg DP, Lieberman JM, Marcy SM, et al. Resposta aumentada de anticorpos em crianças que receberam diferentes sequências de vacinas conjugadas de Haemophilus influenzaetipo b heterogêneas . J Pediatr. 1995; 126 (2): 206-211. DOI: 10.1016 / S0022-3476 (95) 70546-5
  2. Bryan JP, Henry CH, Hoffman AG, et al. Comparação randomizada, cruzada e controlada de duas vacinas contra hepatite A inativadas. 2000; 19 (7-8): 743-750. DOI: 10.1016 / S0264-410X (00) 00301-7
  3. Kroger AT, Sumaya CV, Pickering LK, Atkinson WL. Recomendações gerais sobre imunização: recomendações do Comitê Consultivo em Práticas de Imunizações (ACIP). MMWR Recomendação Rep.2011: 1-60.
  4. Agendas de imunização recomendadas para pessoas de 0 a 18 anos – Estados Unidos, 2011. MMWR Morb Mortal Wkly Rep. 2011; 60 (5): 1-4
  5. Uso da vacina toxóide diftérico-tétano toxóide-pertussis acelular como uma série de cinco doses. Recomendações suplementares do Comitê Consultivo em Práticas de Imunizações (ACIP). MMWR Recomendação Rep. 2000; 49 (RR-13): 1-8.

 

SOBRE OS AUTORES

  • Luis Alberto Verri (CRM 51162) é médico pediatra, formado pela UNICAMP, onde realizou a residência em pediatria, especialista pela SBP, atua no Hospital Vera Cruz desde 1985 e com vacinas desde 1996.
  • Beatriz Verri é graduada em enfermagem pela Unicamp, com especialização em Cardiologia e em Administração Hospitalar. Possui doutorado em Saúde Coletiva também pela UNICAMP. Atualmente é professor adjunto doutor da Universidade São Francisco e da Faculdade São Leopoldo Mandic.
Print Friendly, PDF & Email
Tags
Mostrar mais

Dr. Luis Alberto Verri

Dr. Luis Alberto Verri (CRM 51162) é médico pediatra, formado pela UNICAMP (onde realizou a residência em pediatria), especialista pela SBP e atua no Hospital Vera Cruz desde 1985 e com vacinas desde 1996.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta