DermatologiaPediatria Geral

Onicomadese: o que é e como tratar?

Um resumo sobre onicomadese, uma alteração ungueal que o Pediatra precisa conhecer.

Destaques

Compartilhe conhecimento:
Estima -se que cerca de 7% das crianças menores de 2 anos tenham algum tipo de alteração ungueal, e que isso represente até 11% dos motivos de encaminhamento ao Dermatologista Pediátrico [1].
As doenças dos fâneros são pouco estudadas pelos Pediatras. Geralmente, esses casos – até mesmo os mais simples – são encaminhados ao Dermatologista. Todavia, as alterações nas unhas são comuns em crianças, e não é raro encontrarmos casos clínicos no dia a dia dos consultórios e pronto-socorros. Precisamos estar atentos aos sintomas e às doenças mais comuns para podermos orientar melhor nossos pacientes.

Um caso ilustra bem essa necessidade. Atendi no Pronto-Socorro uma criança de 4 anos e fiz diagnóstico de Síndrome Mão-pé-boca. Após 2 semanas, a criança retorna, coincidentemente comigo, com a queixa de unhas quebradiças. Tratava-se de onicomadese, doença já bem documentada e tendo como uma das principais causas o vírus Coxsackie.

Leia esta nossa revisão e aprenda mais um pouco sobre esta patologia.

 

ONICOMADESE: Definição

Onicomadese é a separação da placa ungueal proximal da matriz ungueal e do leito ungueal, devido à parada do crescimento da matriz ungueal [UpToDate atualização maio 2018].

https://www.indianpediatrics.net/aug2014/aug-677.htm

 

Causas

Várias etiologias são responsáveis pelo surgimento da onicomadese. Entre elas, destacam-se o trauma, geralmente acometendo somente uma unha, e as infecções, principalmente a Síndrome Mão-pé-boca, acometendo várias unhas [UpToDate atualização maio 2018] .

Como causas possíveis da onicomadese, encontramos:

  • Trauma (onicotilomania, trauma ao cortar unhas e uso de calçados apertados);
  • Infecções: após Síndrome Mão-pé-boca ou Herpangina, causadas pelo vírus Coxsackie [234]. Estes casos são relacionados mais frequentemente com o sorotipo A6 e ocorrem geralmente 3-8 semanas após a doença;
  • Medicamentos: retinóides, quimioterápicos e valproato de sódio [5];
  • Síndrome de Gianotti-crosti [6]: Leia nossa revisão deste assunto no link abaixo;
  • Doença de Kawasaki [7];
  • Idiopática e/ou familiar [8,9];
  • Doença cutânea local (dermatite e paroníquia).

Síndrome de Gianotti Crosti

 

Sinais e sintomas

portalped - divisor cadeado

Está gostando desse texto?

Cadastre-se gratuitamente no PortalPed para ler o restante da matéria!

Faça seu login no PortalPed
*
E-mail
Complete este campo.
Please enter valid data.
*
Senha
Complete este campo.
Please enter valid data.
Digite pelo menos 1 caracteres.
ENTRAR!
 
 

 

Print Friendly, PDF & Email
Tags
Mostrar mais

Dr. Breno Nery

Médico pediatra especializado em medicina intensiva pediátrica, com graduação pela Universidade Federal de Pernambuco e especialização pela Unicamp.

Deixe uma resposta